Consulte as FAQs abaixo

Posso usar qualquer tipo de óleo vegetal?
Sim, pode ser utilizado qualquer tipo de óleo vegetal (ou misturas de óleos/azeites), desde óleo de fritar batatas ao óleo das latas de conserva. Para que a experiência de fazer a sua própria vela seja a melhor possível, o óleo vegetal usado deve estar livre de resíduos sólidos. Aconselha-se que o óleo seja previamente filtrado/coado. Nunca use óleo de motor ou óleo mineral.
Posso armazenar o óleo vegetal usado e utilizá-lo mais tarde?
O óleo vegetal usado, uma vez armazenado, deve estar o mais livre possível de impurezas: restos de comida, etc.; quanto mais impurezas tiver mais degradado estará aquando da sua utilização, afetando a performance de combustão da vela que não será tão elevada ou mesmo o odor do óleo pode ser impossível de “erradicar”. Aconselha-se que o óleo seja previamente filtrado/coado antes de ser armazenado. Em caso de presença de água, vão formar-se duas camadas, sendo que a água é mais densa e fica no fundo e o óleo, tendo uma densidade inferior, fica no topo; o líquido sobrenadante deve ser transferido lenta e cuidadosamente para outro recipiente, estando assim pronto a ser utilizado.
Posso utilizar o óleo usado sem qualquer tratamento prévio?
O óleo vegetal usado deve ser filtrado, após utilização e, em caso de aquecimento, após arrefecimento, de forma a retirar o máximo de resíduos sólidos existentes. Para uma filtragem mais eficiente, aconselha-se o uso de filtros de café.
Se deixar cair a cera líquida, o que devo fazer?
Primeiro, deve deixar arrefecer e quando estiver solido, limpar com papel de cozinha e deitar no lixo orgânico.
Posso reutilizar o óleo de velas antigas?
Não, o óleo uma vez misturado com o pó resulta em cera, o processo é irreversível. O que se pode reutilizar é a cera resídual que fica no copo após a queima da vela. Basta retirar o que resta do pavio, aquecer no microondas e verter a cera liquefeita para o copo onde está a fazer uma nova vela.
Posso utilizar qualquer tipo de recipiente para fazer a vela?
Sim, desde que seja de um material sólido não inflamável.
Posso aquecer o óleo directamente no copo da vela?
Sim, pode aquecer não só o óleo como seguir os restantes passos para a obtenção da vela no copo que escolheu para o efeito, desde que o copo possa ir ao Micro-ondas.
Posso reutilizar os copos das minhas velas antigas?
Sim. Para os limpar, basta retirar os resíduos com papel de cozinha, por exemplo, e colocar tudo no lixo orgânico. Assim que este passo esteja concluido, os copos estão prontos para serem lavados com água e detergente.
Tenho de lavar os copos antes de os utilizar para as velas?
Não necessariamente, se o copo em causa provém de uma vela queimada anteriormente basta retirar o que resta do pavio para que o copo possa novamente ser utilizado para o mesmo efeito. Os resíduos (cera) que possam existir podem ser igualmente incorporados na nova vela.
Posso lavar os copos na máquina de lavar?
Sim, desde que os resíduos (cera) e o que resta do pavio sejam previamente retirados. Use sempre papel de cozinha para limpar a cera antes de lavar o copo.
Como medir o óleo para fazer a vela?
Qualquer recipiente medidor que tenha na sua cozinha serve para esse efeito. Temos também disponível um kit de pó com medidor na nossa linha de produtos.
Que tipo de colher devo utilizar para medir a quantidade de pó indicada?
Caso não disponha da nossa colher medidora, colher essa que acompanha qualquer um dos artigos onde se inclua o pó, pode sempre recorrer a uma simples colher de sopa que tem, sensivelmente, a mesma capacidade volúmica.
Posso usar uma colher mais pequena e colocar o número de colheres de pó proporcionais?
Sim, basta assegurar que a quantidade medida é igual à que vem indicada nas instruções.
Se quiser fazer uma vela de grandes dimensões, como faço para medir o pó?
Qualquer que seja a dimensão da sua vela há uma premissa a respeitar: 3 colheres medidoras de pó (20g) para 100 mL de óleo (vela standard). Mantendo esta proporção pode fazer velas de qualquer dimensão. Exemplos: i) vela com o triplo do tamanho da vela standard: 9 colheres medidoras (60g) para 300 mL de óleo; ii) vela com metade do tamanho da vela standard: 1 colher e meia de pó (10g) para 50 mL de óleo.
O óleo sai muito quente do microondas? Como devo retirá-lo?
O óleo sai a uma temperatura relativamente elevada do microondas pelo que o recipiente só deve ser manuseado com protecção adequada: uma pega ou luva térmica de cozinha. Deve ter sempre cuidado ao manusear o óleo quando é retirado do microondas ou do banho maria.
Não tenho microondas em casa, como posso fazer as minhas velas e qual o tempo de aquecimento associado ao processo?
Pode fazer as suas velas no fogão, por exemplo. O tempo referido nas instruções, relativamente ao microondas, é meramente indicativo dado que existem diversas variáveis condicionantes, nomeadamente: o material e espessura do recipiente utilizado no aquecimento, o volume de matéria aí presente, a potência real do microondas. No caso do fogão a premissa é a mesma, melhor do que indicar o tempo de aquecimento necessário será definir indicadores factuais que permitam perceber quando terminar o aquecimento. O aquecimento no fogão, quer seja com recurso a chama quer seja em placa eléctrica, deve ser feito no mínimo, em banho-maria preferencialmente, de forma a evitar que o óleo aqueça em demasia, ou entre mesmo em ebulição, sob risco de deteriorar ainda mais o óleo em causa e daí resultarem velas de performance inferior. Deve proceder-se à mistura contínua (óleo + pó) em simultâneo com o aquecimento. Antes do pó estar completamente dissolvido, mas já perto disso, deve desligar-se o fogão e continuar a agitar até que daí resulte uma mistura homogénea. A cera está assim pronta a ser vertida para o recipiente da vela.
O que fazer para evitar que as velas rachem enquanto arrefecem?
As velas racham essencialmente porque se dá um choque térmico (a matéria arrefece e contrai bruscamente) quando se verte a cera quente para o copo frio, ou quando a temperatura ambiente é por si só bastante inferior à temperatura da cera líquida. Quanto maior a amplitude térmica inerente ao processo, maior a probabilidade deste fenómeno acontecer. Dicas:

i) pré-aquecer o recipiente final da vela;

ii) deixar arrefecer a cera líquida antes de verter para o recipiente;

iii) permitir que a vela arrefeça em ambiente protegido (onde o arrefecimento e solidificação da vela possa ser gradual), numa caixa de cartão por exemplo.

Como sei se devo ou não colocar o óleo mais tempo no microondas para o aquecer?
Deve seguir o tempo indicado nas instruções e caso constate que o mesmo não é suficiente para derreter o pó no óleo e obter daí uma mistura homogénea, pode colocar mais 1 a 2 minutos no microondas.
O que fazer para limpar os restos de cera que possam existir no microondas após utilização?
Basta utilizar papel de cozinha deitando, de seguida, o mesmo no lixo orgânico. Nunca use água para limpar directamente a cera.
Qual a melhor altura para se adicionarem as “pepitas” de cor?
As “pepitas” de cor devem ser adicionadas quando a vela já estiver pronta, antes de deixar arrefecer e de colocar o pavio, estando ainda a cera no estado líquido e quente. Para que as “pepitas” se dissolvam convenientemente e a cor tenha uma distribuição homogénea na cera, é indispensável o processo de agitação. Recomendamos a utilização de 1 – 4 “pepitas” por vela standard (100 mL de óleo + 3 colheres de pó_20g).
Quando devo colocar o pavio na vela?
O pavio deve ser colocado, com a ajuda do suporte de pavios, 2-5 min após a vela estar feita ou quando se verificar o aparecimento de turvação na cera, ainda líquida, assim como um aumento da viscosidade da mesma, sinais que indicam que está a decorrer o processo de solidificação.
Esqueci-me de colocar o pavio na vela e a vela solidificou. O que devo fazer?
Basta aquecer a vela no microondas, 1 a 2 min, até que a mesma fique liquefeita (não é necessário que seja totalmente).
A seguir, coloque o pavio, utilizando o suporte para o efeito.
A vela que fiz abateu junto ao pavio, o que devo fazer para corrigir?
O abatimento da cera junto ao pavio tem maior incidência em velas altas. A cera arrefece e solidifica primeiro nas áreas expostas ao exterior, paredes e topo da vela, o núcleo ainda quente e semi-sólido acaba por não conseguir sustentar a cera sólida do topo e abate. Dicas:

a) fazer 2 enchimentos, encher primeiro o copo a 2/3, deixar arrefecer e só depois perfazer o resto (1/3);

b) nos casos em que o recipiente é transparente, para que não se note claramente a linha dos enchimentos, o 2º enchimento deve corresponder apenas a uma fina camada de cera que se verterá no topo da vela.

Posso colocar a vela no frigorífico?
Para efeitos de aceleração do processo de arrefecimento, sim. Mas atenção à humidade presente neste electrodoméstico que pode ser incorporada na vela afectando, assim, a performance de queima. Uma vela quente, colocada no frigorífico, resulta no aumento do consumo energético deste electrodoméstico, para manter a temperatura programada. Sempre que possível deixe a vela arrefecer naturalmente à temperatura ambiente.
Posso adicionar aromas ao pó que adquiri?
Não é de todo aconselhável. Pode por em risco a segurança de todo o processo e mesmo a queima da própria vela. Pode ainda provocar a emissão de compostos irritantes devido à concentração excessiva de fragrância presente na vela.
Posso adicionar 2 pós diferentes?
Sim. Não existe qualquer inconveniente desde que respeite as quantidades indicadas nas instruções. O aroma obtido no final pode é não corresponder ao que pretende obter.
Não sei qual o pavio adequado para o copo que pretendo utilizar, o que devo fazer?
Os pavios fornecidos juntamente com o pó (#14) são adequados a copos com diâmetros 5-7 cm. Para copos de diâmetro superior os indicados são os #16 que se encontram à venda em separado. Em velas com diâmetros iguais ou superiores a 10 cm, por exemplo sugerimos a utilização de 3 pavios ( Nr. 14 ou Nr. 16) colocados de forma equidistante e com uma margem de segurança em relação às paredes do copo.
O pavio da vela está demasiado curto, o que fazer para corrigir esta situação?
A cera líquida junto ao pavio pode estar a submergir a chama, consequentemente a mesma fica muito reduzida e pode até extinguir-se. Para corrigir a situação, recomenda-se que apague a vela e que retire a cera que se encontrar líquida na altura.
Tenho que esperar quanto tempo até acender a vela?
Assim que a vela tenha solidificado pode ser acesa.
A minha vela não está a arder correctamente, o que se passa?
Para que as suas velas tenham uma boa performance de queima recomenda-se que:

- o óleo usado utilizado tenha sido filtrado e decantado convenientemente antes do armazenamento e utilização – óleo com muitos detritos, presença acentuada de água e muito degradado, afectará negativamente a queima;

- não ultrapassar 3-4h de queima contínua – apagar a vela com o apagador de velas (snuffer), que servirá igualmente para retirar do pavio a acumulação de bolbos de carbono (fuligem) e para aparar o pavio caso o mesmo esteja já enrolado e a tocar na cera, deixar arrefecer e reacender;

- quando utilizar o snuffer acautelar a altura do pavio mínima: 0,5 cm, se aplicar demasiada força o pavio pode ficar demasiado curto, não permitindo que a chama tenha a dimensão correcta;

- utilizar o pavio adequado ao diâmetro da vela: pavio tealight, pavio 14 (diâmetro: 5 – 7 cm) e pavio 16 (diâmetro > 7 cm).

A minha vela liberta fumo durante a queima, porque é que isto acontece?
Uma das razões pode ficar a dever-se ao facto da vela estar exposta a uma corrente de ar, tornando a chama instável, oscilante, originando a emissão de partículas de carbono que não foram consumidas (unburned particles). Outra razão pode prender-se com o facto do pavio ter acumulado bolbos de carbono devido às longas horas de queima contínua a que foi sujeito (apagar a vela, com o snuffer, a cada 3-4h de queima contínua). Outra das razões pode resultar do facto do pavio que está a ser utilizado ser demasiado forte para o diâmetro da vela, resultando num excesso de fluxo de cera que ascende ao pavio e numa chama com dimensões excessivas, o oxigénio, presente no interior do copo, pode não ser suficiente para providenciar uma combustão completa.
A minha vela está a deixar muita cera agarrada às paredes do copo quando a queimo, porquê?
Existem várias explicações possíveis:

- o pavio não é adequado ao diâmetro da vela, tamanho inferior ao necessário e, por conseguinte, a “piscina” formada – cera líquida que alimenta a combustão através do fenómeno de capilaridade entre pavio e fluido – é diminuta;

- a vela não está acesa tempo suficiente para a cera derreter e atingir o diâmetro máximo da “piscina”, que deve ser igual ou ligeiramente inferior ao diâmetro do copo;

- a má qualidade do óleo usado utilizado pode conduzir a uma queima ineficiente, chama e “piscina” com dimensões muito reduzidas – sugestão de despiste: fazer novamente a vela mas com óleo virgem. Note-se que, a queima é potenciada à medida que a cera é consumida e que a chama desce dentro do copo, fica mais calor retido no interior do recipiente permitindo, assim, o aumento do diâmetro da “piscina” e derretendo a cera não consumida em ciclos anteriores.

Quando sopro, para apagar a vela, esta deita muito fumo. Existe algum problema com a vela?
Não existe qualquer problema com a vela. Tal como todas as velas, existe sempre libertação de fumo quando as mesmas são extintas, uma vez que, se não se limitar de imediato o comburente (oxigénio), o pavio arde ainda por alguns segundos. Para minimizar este efeito recomenda-se a utilização de um apagador de velas (snuffer) – consulte o nosso catálogo de produtos.
O que posso fazer para evitar que a vela cheire a óleo quando se apaga?
Deve apagar sempre a vela com o apagador de velas (snuffer), para evitar a libertação de fumo, e não deve deixar a vela queimar até ao fim, ou seja, auto-extinguir-se (apagar a vela, com o snuffer, no último 0,5 cm de cera remanescente). Quando se apaga a vela, o pavio arde ainda por alguns segundos e liberta pequenas partículas de carbono que não foram consumidas, unburned particles, provenientes do óleo usado, neste caso. Em simultâneo, a fragrância cessa parcialmente a sua volatilização e os odores que imperam são o do pavio queimado e do óleo usado. A fragrância é essencialmente libertada (volatilizada) a partir da “piscina” formada – cera líquida que alimenta a combustão através do fenómeno de capilaridade entre pavio e fluido – e, quando se apaga a vela, dá-se um arrefecimento e a capacidade de volatilização da fragrância diminui drasticamente.
Após algumas utilizações, a cera da minha vela começa a ficar escura, por vezes negra, como posso evitar que esta situação ocorra?
Durante a queima, o pavio acumulará, tendencialmente, bolbos de carbono (fuligem), quando se extingue a vela esses bolbos soltam-se do pavio e caiem na cera ainda líquida, ao solidificar a cera fica mais escura. Para evitar esta situação recomenda-se a utilização do apagador de velas (snuffer) com o devido cuidado de não deixar cair a fuligem que fica a agarrada ao snuffer.
Posso fazer velas com moldes?
As velas podem ser feitas em moldes mas as mesmas não podem ser queimadas sem um recipiente/copo adequado, sob risco de a vela se desfazer e colocar em causa a segurança da queima.
Por essa razão, recomendamos sempre o uso de uma base para a vela para colocar a cera no interior.
Há algum risco para a saúde quando usamos estas velas?
A Melhor Vela do Mundo foi rigorosamente testada em laboratórios independentes e acreditados (consultar os resultados na nossa página). Foram avaliados mais de 30 parâmetros diferentes que vão desde saúde e ambiente ao comportamento e segurança na queima das velas, são disso exemplos: testes à presença e concentração de alergéneos, metais pesados, elementos carcinogénicos, dioxinas, testes às emissões das velas durante a queima… As velas e o pó para fazer velas passaram em todos os testes com grandes margens de segurança.
As fragrâncias presentes nas velas podem desencadear reacções alérgicas?
Apesar de milhões de pessoas usarem velas aromáticas com regularidade sem qualquer efeito negativo, é sempre possível que alguma fragrância em particular possa despoletar alguma reacção negativa em pessoas mais sensíveis. É de relembrar que toda e qualquer vela, aromática ou não, deve ser queimada em áreas convenientemente ventiladas.
Os perfumes das velas e do pó são naturais ou sintéticos?
Todas as nossas fragrâncias são sintetizadas em laboratório, incorporam alguns compostos naturais mas são, na sua maioria, essencialmente sintéticos.

Vantagens em usar fragrâncias sintéticas:

Sustentabilidade

São necessários centenas de Kilogramas de matéria vegetal (plantas) para produzir algumas gramas de óleos essenciais, o que implica uma agricultura em larga escala, massiva, com um maior recurso a pesticidas, herbicidas… O transporte destes óleos essenciais, ou mesmo da matéria-prima para os produzir vem, normalmente, de destinos remotos o que representa uma considerável desvantagem ambiental a ter em conta.

100% natural?

Mesmo quando os óleo essenciais são naturais isso não significa que os meios para os extrair (a partir das plantas: folhas, pétalas…) o sejam, são correntemente utilizados solventes químicos no processo.

- Seguro para a saúde?

Uma substância “natural” ou dita “orgânica” não é por si só segura, assim como um composto sintético não é automaticamente perigoso. Uma substância natural pode ser um alergéneo, por exemplo, ou não ser “amiga” do ambiente assim como um composto sintético. As nossas fragrâncias são cuidadosamente formuladas respeitando as concentrações máximas recomendadas, estão em conformidade com a regulamentação da IFRA (International Fragrance Association), assim como, com a Regulamentação da União Europeia no que toca às fragrâncias. Os nossos produtos foram testados em laboratórios independentes e acreditados (os resultados encontram-se no site).

Como posso ser Eco-Agente?
Poderá enviar um email com o seu CV e contactos, para a O2W (info@oil2wax) e entraremos em contato consigo.
Posso comprar os vossos produtos on-line?
Poderá comprar os nossos produtos através da loja do seu consultor. Caso não tenha um, preencha o formulário de contacto e um dos nossos consultores entrará em contacto consigo.